Mensagem da Mesa Administrativa
 

A Santa Casa da Misericórdia de Montijo encontra-se a comemorar os seus 450 anos de existência, ao serviço do Montijo e dos seus cidadãos, ao longo destes quatro seculos e meio, esta instituição tornou-se uma pedra basilar no apoio social e na assistência aos mais fracos e aos mais pobres, contribuindo assim para uma coesão na aposta da intervenção caritativa.


Estava, pois, esta Santa Casa a exercer na plenitude aquilo que se consagram nas 14 Obras das Misericórdias em termos corporais e espirituais, no fundo a observar e respeitar as suas raízes de matriz cristã de apoio ao próximo e que levaram ao seu aparecimento e dispersão pelo território nacional espalhando-se até pelo espaço ultramarino.


É, pois, neste contexto que a actual Mesa Administrativa, entendeu projectar esta Santa Casa no futuro para que mais 450 anos que se adivinhem com pujança e caminhando irmãmente no apoio ao próximo e aos mais desfavorecidos como é o nosso ideal.


Assim, e porque temos a consciência que a Santa Casa da Misericórdia de Montijo está ao lado dos seus conterrâneos, independentemente da sua crença, ideologia, estatuto social, raça ou rendimentos desde o século XVI, afirmando-se como agente de desenvolvimento de políticas de inclusão e coesão social.


No entanto, comemorar 450 anos não pode deixar de ser também uma oportunidade de honrando aqueles que nos antecederam, pensarmos também em termos de futuro, de um futuro que se quer mais risonho e assertivo, mantendo-nos no caminho da tradição que evolui num sentido são.


É por isso que resolvemos nos apresentar neste novo ano que se inicia com um novo visual em termos de aspecto gráfico e identificativo, projectando-nos num futuro que ser quer mais risonho, e mostrando que a tradição também pode evoluir nos seus mais diversos aspectos, continuando a honrar a nossa história secular, mas projectando-a na modernidade.
 

Dai que nos apresentemos a partir de hoje com um visual renovado, dinâmico e moderno, como renovada, dinâmica e moderna continua a ser a nossa razão de existir, ou seja todos vós, mas mantendo o mesmo rigor e qualidade que nos distingue há séculos.

Ilídio Massacote

Provedor